Excursão a Chernobyl, na Ucrânia.

Chernobyl está situada 90 km ao norte de Kiev (Capital da Ucrânia) e a 160 km da fronteira com a Bielorrússia e possuía 14000 habitantes quando foi evacuada 9 dias após o acidente nuclear ocorrido em 1986. A Planta Nuclear de Chernobyl fica a 15 km da cidade. Para os funcionários da Usina Nuclear foi construída nos anos 70 a cidade de Pripyat, às margens do rio de mesmo nome. Fica situada a 7 km do local do acidente e a população de 50.000 pessoas foi evacuada somente após 30 horas. 

COMO CHEGAR:

Os voos internacionais chegam através do Aeroporto de Boryspil que fica a 28km da cidade de Kiev. Para o centro Kiev você pode optar por um táxi, Ônibus ou Trem (Kyiv Borispil Express) todos saindo do Terminal D. O trem custa em torno de 4 Euros e é um preço intermediário entre o Ônibus e o Táxi. Optamos pelo trem e tivemos algumas belas vistas de Kiev durante o trajeto. A estação de trem fica a 100 m do Terminal D, portanto, se você desembarcar em outro terminal, aguarde o ônibus gratuito que passa de 15 em 15 min em cada terminal e vá até o Terminal D. Você pode comprar o ticket do trem nas máquinas dentro do terminal ou no guichê na estação. Achei mais fácil comprar na máquina que tem as instruções em inglês também, pois a atendente do guichê não falava inglês. (Aliás não é muita gente que fala inglês nessa redondeza!)

Para visitar o local do Acidente Nuclear de Chernobyl e a cidade de Pripyat você obrigatoriamente tem que entrar na “Zona de Exclusão”. Mas o que é a tal Zona de Exclusão? Essa área militarizada, é controlada pelo Governo e Polícia da Ucrânia tem aproximadamente 2600 km2 ao redor do local do acidente.  E uma zona de acesso restrito devido à contaminação radioativa ainda existente. Obrigatoriamente você só entra com Guias autorizados, podendo ser com um grupo ou até no seu próprio carro juntamente com o guia (opção um pouco mais cara). Programação é fundamental, pois a agência ou guia autorizado terá que enviar sua documentação para o Governo da Ucrânia, que emitirá uma autorização especial e válida somente para aquele dia. Portanto você precisa reservar o tour com uma antecedência de 4 a 6 semanas!

Pesquisei bastante as agências e lendo os reviews optei pela Chernobyl Wel, pois eles não cobram aluguel do dosímetro e nos deram alguns brindes durante o tour, incluindo um almoço no restaurante da Usina Nuclear de Chernobyl. O total foi de 119 Euros por pessoa pelo tour de 1 dia incluso o transporte, dosímetro e o almoço em Pripyat. Há opções de 1 ou 2 dias, podendo até entrar na Sala de Controle e ver o botão AZ-5 (que se pressionado a tempo poderia ter evitado o acidente).

Dia marcado, fomos ao ponto de encontro da Chernobyl Wel, que foi na Polzunova Street – Estação Vokzalna, no mesmo terminal do trem que nos trouxe do aeroporto para o centro de Kiev. O horário que normalmente saem as vans e 07:30, assim, aproveitamos para tomar café da manhã no Puzata Hata (Пузата Хата) que fica bem em frente do ponto das Vans. No dia havia 15 vans só da Chernobyl Wel. Tudo muito organizado e todos os guias falam inglês. Se identifique, faça o pagamento (você pode optar por pagar pelo site o valor da reserva e no dia pagar o resto em Euros) e não se esqueça de pedir a sua autorização impressa, pois sem ela você NÃO entra na Zona de Exclusão. Van confortável, o trajeto foi tranquilo, com uma parada para compra de alguns snacks e ida ao banheiro. O sinal de Wi-Fi é muito ruim durante o trajeto, e na Zona de Exclusão quase inexistente. Até a entrada da Zona de Exclusão levamos em torno de 2 horas. Na entrada todos desceram da Van e apresentam a autorização que é escaneada por um Policial e o Passaporte.

Fiscalização para a entrada na Zona de Exclusão.

Recebemos um dosímetro fornecido pelo Governo da Ucrânia, ao qual está atrelada a sua Autorização. Ele terá que ficar pendurado no seu pescoço durante todo o tempo da visita, e o aparelho acumula a quantidade de radiação que chega ao seu corpo durante toda a visita e, caso for um nível perigoso, ele vai apitar. Mas não se preocupe, perguntei á Guia que trabalha há 2 anos na Zona de Exclusão e nunca viu esse dosímetro apitar, e só uma precaução por parte do Governo. Ao longo do dia passamos por 3 pontos de controle de radiação.

A partir daí o Tour começa:

Placa de entrada da cidade de Pripyat, e seu ano de fundação.
Edifício Residencial: um dos poucos que a entrada e autorizada.
Dentro do Edifício muita destruição feita por turistas ilegais: os Stalkers.
Hospital: medicamento abandonado e caderno com os horários de prescrição.
Berçário no Hospital de Pripyat.
Café Pripyat: de onde partiam os barcos de turismo que navegavam o rio de mesmo nome.
Café Pripyat antes do desastre. Fonte: http://www.chernobylgallery.com/galleries/cafe-pripyat/
Escola de Música da Prefeitura de Pripyat.
Escola de Música da Prefeitura de Pripyat.
Polissia Hotel: Localizado no centro da cidade de Pripyat.
Supermercado em Pripyat: na época um dos poucos lugares da União Soviética que vendia o famoso perfume Channel no. 5.
Parque de Diversões: seria aberto durante as comemorações do dia Primeiro de Maio de 1986, nunca foi utilizado. O acidente ocorreu em 26 de abril.
Parque de Diversões: seria aberto durante as comemorações do dia Primeiro de Maio de 1986, nunca foi utilizado. O acidente ocorreu em 26 de abril.
Interior de uma Escola

Após visitar alguns pontos da cidade de Pripyat (há alguns trechos a pé), nos dirigimos a “Cantina 19” dentro de Chernobyl. Há agências que oferecem o almoço como opcional. Na Chernobyl Wel o almoço estava incluso. Mas fiquem despreocupados, todos os alimentos e a água utilizados lá, vem de fora de Chernobyl.

Na entrada você passa pelo Checkpoint de Radiação.

Dentro da Cantina há uma loja de souvenires, você pode comprar camisetas, dosímetros, adesivos etc. Há por volta de 1:30 hora pra almoçar. Após o almoço entramos na Van e vamos conhecer o local mais esperado por todos, eu acho, o Reator Nuclear no. 4.

Comida típica Ucraniana.

Em dezembro de 1986, sobre o Reator Nuclear no. 4, foi construído primeiramente um “Sarcófago” que abrigou e reduziu significativamente o perigo de contaminação radioativa. Em 2017 foi concluída a construção de um segundo “Sarcófago”, após a constatação de que o primeiro estava se deteriorando. O projeto teve um custo de 2.150 Milhão de Euros e tem a previsão de reter a radiação pelos próximos 100 anos. Foi a maior estrutura móvel já construída no mundo (móvel, pois ela foi construída ao lado do Reator e após foi instalada em cima do Sarcófago anterior). No seu interior há 200 ton. de Combustível Nuclear, 630.000 metros cúbicos de lixo radioativo e 4 toneladas de poeira radioativa.

Atual Sarcófago. Peso: 25.000 toneladas, Largura: 165 m, Altura: 110m. O monumento a frente é um Memorial aos profissionais que trabalharam para proteger o mundo do desastre nuclear.

Saímos do Reator Nuclear no. 4 e conhecemos os arredores cruzando pela estrada a “Red Forest”. Essa floresta, pela proximidade do Reator Nuclear no. 4, recebeu grande quantidade de radiação e todas as árvores morreram na época. Estima-se que esse acidente nuclear equivale a 20 vezes a Bomba Atômica de Hiroshima e Nagasaki! Veja o nível de radiação passando pela Red Forest:

A Red Forest permanece até hoje como a área mais contaminada do mundo. Mas não se assuste, pois é proibido parar ou descer da Van neste trecho.

Ainda dentro da Zona de Exclusão nos dirigimos até o Radar Duga. Localizado numa das áreas mais secretas do governo Soviético durante a Guerra Fria, foi operado entre 1976 e 1989 pela União Soviética. Após vários relatos de interferência nos sinais de Rádio do País, o governo então divulgou que o Duga seria uma antena de TV ou um radar meteorológico, mas o verdadeiro propósito era o de detectar mísseis balísticos vindos da América.

Radar Duga: 150 m de altura e 700 m de comprimento. O solo e composto de areia e boro que foram jogados de helicóptero a fim de conter a radiação.

Subimos na Van em direção agora a cidade de Chernobyl, passando pela última medição de radiação.

A cidade é considerada a “mais fantasma das cidades” atualmente. Há 2 lojas e um hotel. A cidade de trânsito serve como base para os trabalhadores administrativos da Zona de Exclusão, mas eles não moram lá, já que não é permitido o trabalho por mais de 15 dias dentro da Zona de Exclusão.

Avenida “Fantasma” de Chernobyl.
Wormwood Star Memorial: anjo que toca uma trombeta relacionando o monumento a um dos sete eventos apocalípticos descritos na Bíblia: “uma grande estrela chamada Wormwood cai na Terra e envenena um terço da água doce do mundo”. (Apocalipse 8:10,11)

E nesse memorial nossa trip termina, e vamos com destino a Kiev. Minhas dicas para esse tour incrível são: assistam a serie Chernobyl, leiam bastante antes de ir, pois o dia será bem mais interessante. Sempre sigam as recomendações do Guia, pois ele sabe os locais que podem ou não entrar, se aproximar etc. Não vá esperando encontrar um local de desastre, triste, melancólico pois a natureza está tomando conta novamente de cada pedacinho da região e é muito interessante ver isso acontecer. Programe-se com a antecedência adequada, pois você pode não conseguir a data que pretende.

Quanto ao perigo da radiação no local eu não vou me atrever a escrever nada a respeito, não sou especialista nesse assunto. Em minha opinião é uma questão que precisa ser estudada por cada um que tem a intenção de fazer esse tour incrível. Eu pesquisei muito, assisti muita coisa durante meses. Na internet há vários vídeos de não especialistas falando coisas sem o menor sentido, fazendo um terror sobre o assunto dizendo inclusive que isso é um tipo de “experimento” do Governo Ucraniano.

Segue um link como sugestão: http://www.cnen.gov.br/noticias/documentos/quadro-radiacao.pdf

Encorajo a todos que pensam em ir a Chernobyl e Pripyat que cheguem as suas próprias conclusões: Eu fui!

Texto escrito por: Marcelo Duarte
Facebook

Youtube

4 comentários sobre “Excursão a Chernobyl, na Ucrânia.

  1. Ana Paula Landeiro 21 de janeiro de 2020 / 10:58

    Tenho vontade de fazer a Excursão a Chernobyl, mas é triste ver algumas pessoas que não prestam o devido respeito ao local e pegam as coisas como se fossem souvenirs. Você notou falta de alguma coisa?

    Curtido por 1 pessoa

    • Vanessa Orfao 21 de janeiro de 2020 / 15:52

      Realmente é triste ver o desrespeito das pessoas no local. Há muita coisa destruída na Zona de Exclusão. Sinceramente nao da pra notar a falta de algum objeto dentre a grande “bagunça” que vemos. Na época, no dia em que os moradores foram avisados que teriam que abandonar seus lares, o governo disse que eles iriam voltar depois de 3 dias. Já faz quase 34 anos que nunca mais ninguém morou lá. Ha na Zona de Exclusão a ação dos Stalkers: grupos que invadem a área (que tem aproximadamente 2600 km2), através de locais que nao sao cobertos pela segurança do local. Stalkers seria uma sigla em inglês traduzida como: catadores, invasores, aventureiros, solitários, assassinos, exploradores e ladrões. Muitos Stalkers são filhos ou parentes de vítimas do acidente e buscam por objetos, memórias e lembranças. Alguns fotógrafos que acabam por “alterar” as cenas em busca do melhor ângulo. Outros com a finalidade somente de aventura e alguns infelizmente com o propósito de destruir, roubar e levar objetos do local. Essa situação piorou após o lançamento em 2007, por um grupo de jovens Ucranianos, do jogo STALKER que se baseia na história do acidente de Chernobyl, porém simulando um segundo desastre nuclear. Bizarro!!! Com a disseminacao desse jogo, invadir Chernobyl virou uma sub-cultura Geek!!! Algumas pessoas já foram presas e em suas residências foram encontrados vários objetos retirados da Zona de Exclusão.Porém é difícil fazer a segurança de uma área que equivale a mais de 364.000 campos de futebol! Mas em contrapartida, ver a natureza se adaptando e tomando conta de Chernobyl é fantastico. Há estudos que estão comprovando que uma especie de passaro, após um tipo de “seleção não natural” está se adaptando ao ambiente produzindo um certo tipo de antioxidante protetor de danos genéticos. A natureza e surpreendente! Enfim, nao da pra sentir falta de alguma coisa, tudo que vemos parece estar ali por muitos e muitos anos. Os Guias afirmam a todo o momento que é proibido tocar, levar ou mexer em qualquer objeto dentro da Zona de Exclusão e nao vi dentro do grupo que eu estava a intenção de pegar um souvenir que seja. Somente a observação, a história dentro do possível preservada que vi em Chernobyl foi uma experiência quase indescritível!
      Marcelo Duarte – https://www.facebook.com/profile.php?id=100009273278942

      Curtir

  2. Luciana Freitas Gorges 21 de janeiro de 2020 / 11:34

    Excelente post sobre a excursão a Chernobyl! Achei incrível como você contou toda a experiência. Apesar das fotos me passarem melancolia, achei interessante a sua observação de que não sentiu isso, pois a Natureza está retomando o local.

    Curtir

    • Vanessa Orfao 21 de janeiro de 2020 / 16:20

      Luciana, a princípio também achei um Tour meio melancólico, confesso. Porém eu tinha muita vontade de conhecer o local por toda a história que envolve a icônica cidade de Chernobyl, a Ucrânia e a contribuição significativa do acidente para a queda da União Soviética. Realmente a natureza está em todo o lugar que a vista alcança: são florestas que surgiram no meio de avenidas, árvores já com um tamanho considerável saindo de uma fenda no concreto por exemplo. Caminhei bastante pela floresta e quando você menos espera o guia te mostra uma foto que estávamos no cruzamento de avenidas! A experiencia e realmente incrível!
      Marcelo Duarte – https://www.facebook.com/profile.php?id=100009273278942

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.