Viagem de um dia ao Palácio de Versalhes, partindo de Paris.

O Palácio de Versalhes é um dos mais famosos palácios do mundo e está localizado a 20 Km a sudoeste do centro de Paris. Considerado Patrimônio Mundial da UNESCO, sem dúvida, é uma joia da arquitetura francesa.

Ele é um dos lugares mais visitados da França. Em 2017 tornou-se o segundo monumento mais visitado da região, logo atrás do Louvre.

HISTÓRIA

O Castelo de Versalhes foi construído no final de 1600, como um pavilhão de caça ao rei Luís XIII. Posteriormente o arquiteto Philibert Le Roy substituiu o pavilhão de caça por um castelo de tijolos e pedras.

Em 1660 o filho dele, o rei Luis XIV, decidiu reconstruir, embelezar e ampliar o castelo. A primeira fase da expansão foi de 1661 a 1678 e foi projetada pelo arquiteto Louis Le Vau. Nessa época o paisagista André Le Nôtre também foi contratado para criar os jardins mais magníficos da Europa.

A segunda ampliação do castelo se deu de 1678 a 1715. Nessa época o jovem arquiteto Jules Hardouin-Mansart que foi o responsável pela construção de novos espaços. Foi ele que substituiu o amplo terraço de Le Vau pelo que se tornou a mais famosa sala dos espelhos do palácio.

Em 1682 Luis XIV decidiu mudar a corte real da movimentada Paris para região de Versalhes. Logo em seguida Mansart começou a construção da Capela Real, que foi concluída em 1710 pelo seu assistente Robert de Cotte.

Quando Luis XV assumiu o trono, com apenas 5 anos, o governo foi transferido temporariamente de Versalhes para Paris. Porém em 1722, quando o rei atingiu a maioridade, retornou à residência e governo para Versalhes. Ele fez poucas mudanças no palácio nessa época.

Luis XVI também não fez grandes mudanças ao palácio devido a situação financeira, concentrando-se as melhorias nos apartamentos reais. Em 1774 Luis XVI presenteou Maria Antonieta com o Petit Trianon onde a rainha fez extensas mudanças. O palácio foi considerado com um símbolo dos excessos da classe alta que ajudaram a desencadear a famosa revolução francesa, em 1789.

O Palácio já foi palco de vários acontecimentos históricos, um dos mais importantes foi a assinatura do Tratado de Versalhes, que oficialmente encerrou a primeira guerra mundial. Ele foi assinado no salão dos espelhos em 28 de junho de 1919.

Atualmente o Palácio de Versalhes é, simplesmente, um dos castelos mais famosos do mundo e com certeza um ponto turístico obrigatório para quem visita a França.

COMO CHEGAR

Em Paris, eu peguei a linha REC C com destino a Versailles Chatêau – Rive Gauche. A viagem durou cerca de 45 minutos.

Dica: Não são todos os trens da linha REC C que levam para lá. É importante prestar muita atenção aos monitores nas plataformas para checar o horário e plataforma correta.

Chegando a estação, fui andando pela cidade até o Palácio. Essa caminhada durou em torno de 10 minutos e deu para conhecer um pouco da cidade.

INFORMAÇÕES BÁSICAS

O Palácio de Versalhes está localizado na Place d’Armes, 78000 Versailles, França

Horário
De terça a domingo das 9h as 18h30 – de abril a outubro
De terça a domingo das 9h as 17h30 – novembro a março

Preço
20 euros (incluindo visita ao castelo, propriedade Trianon, exposições temporárias, jardins e parque) ou 18 euros (incluido visita ao castelo, exposições temporárias, jardins e parque).

O acesso é gratuito para crianças menores de 18 anos e abaixo de 26 para residentes na UE (união européia).

Compre aqui o seu ingresso

VISITANDO O PALÁCIO

O palácio é composto por três partes:
– Palácio Principal
– Jardins
– Propriedade Trianon

Todas as áreas são fantásticas e vale a pena a visita.

ENTRADA

A entrada do Palácio principal é através do Tribunal de Honra. Ao entrar no palácio, você encontrará as 3 entradas que levam ao castelo.

Entrada A que é utilizada pelos visitantes individuais, que já compraram o ingresso online, Entrada B para grupos com reservas e Entrada H que é reservada para pessoas com alguma deficiência.

Eu não comprei o ingresso antes, por isso, tive que ficar na fila para obter o ingresso na bilheteria e posteriormente e entrar pelo portão (entrada A).  O tempo de espera na fila demorou cerca de 20 a 40 minutos.

* Eu entrei duas vezes, porque logo que entrei ao invés de fazer o tour da forma correta, fui direto para os jardins, que é a parte final do castelo e não dá direito ao retorno por ele, portanto, tive que sair e pedir para entrar de novo. (mico total).

Dica: Malas maiores que o tamanho de mão não são permitidas. Eu estava com uma mochila grande e deixei no guarda volumes do local.

VISITA

PALÁCIO PRINCIPAL

O palácio possui dois andares (piso do jardim e primeiro andar), com uma superfície total de 63.000 m² divididos em 2.300 quartos e salas.

Apartamentos de Estado do Rei (Kings Bedchambers)

São 7 salas que eram usadas para sediar os atos oficiais do soberano: Salão de Hercules, Salão da Abundância, Salão de Vênus, Salão de Mercúrio, Salão de Marte, Salão de Apolo e Salão de Diana.

Nessa área também estão os apartamentos privados do Rei que eram o coração do castelo e os apartamentos privados da rainha é um conjunto de quartos que foram reservados para uso pessoal da rainha.

Eles foram projetados com o mesmo design, cada suíte com sete quartos. Ambas suítes tinham tetos pintados com cenas da mitologia. Os tetos do rei com figuras masculinas e da rainha com figuras femininas.

Grand Gallery

É um conjunto de salas de recepção decoradas e utilizadas para importantes cerimônias. Dentre elas, estão:

Sala dos Espelhos (Hall of Mirros)

A mais famosa sala do palácio é a Sala dos Espelhos,  que é usada em cerimônias excepcionais. Foi construída em 1678. Tem 73 metros de comprimento por 10,5 metros de largura e 12,3 metros de altura. Possui 17 janelas e 17 espelhos.

Na época, servia para passagem do rei para capela e para o apartamento da rainha, além das celebrações, bailes e audiências especiais como o baile de máscaras para o casamento de Maria Antonieta e Luís XVI.

Galeria de Grandes Batalhas

Cobrindo quase todo o primeiro andar da ala sul do palácio, essa sala representa quase 15 séculos de sucessos militares franceses.

Tem 120 metros de comprimento e foi desenhado em 1833 para representar as glórias da França através de pinturas. São 33 delas que narram a história francesa, desde Clóvis até Napoleão Bonaparte.

Também são encontrados 80 bustos de  grandes oficiais franceses mortos em batalhas.

Capela

A capela foi o último edifício em Versalhes construído no reinado de Luis XIV. Os casamentos e os batismos foram realizados nesta capela até 1789. As pinturas do teto retratam cenas das três figuras da trindade.

JARDINS

Os Jardins de Versalhes eram considerados tão importantes quanto o palácio, por isso o Rei Luís XIV confiou a André Le Nôtre a criação e renovação dos seus jardins.

Os jardins têm 800 hectares e compreendem 200.000 árvores, 50 fontes e um canal de 5,57 KM.

Os jardins têm um formato geométrico espelhado e a maioria dos bosques, fontes, caminhos e esculturas ficam do lado direito (a área norte).

O parque é a extensão verde depois dos jardins principais, que rodeia o grande canal. Está área é gratuita e muito utilizada para os habitantes locais para piqueniques e passeios em geral.

O grande canal é o design mais original de André Le Notre com seus 60 metros de largura. O Canal foi usado para batalhas de navios pelo rei e sua corte.

Trazer água para Versalhes foi um dos desafios mais árduos do projeto. A fonte mais próxima era o Rio Sena, localizado 10 km ao norte.

PROPRIEDADE TRIANON

A propriedade de Trianon reúne os pavilhões Grande Trianon e Petit Trianon, o Queen’s Hamlet e uma enorme variedade de jardins ornamentais. Esses espaços foram construídos próximos ao palácio pelos reis.

Entre esses edifícios, destaca-se o Hamlet da Rainha, uma vila inspirada na arquitetura tradicional da Normandia. Inclui um moinho de vento e uma sala de bilhar.

Para chegar nessas áreas mais afastadas o ideal é alugar um carrinho de golfe particular (34 euros primeira hora e 8,50 euros a cada 15 minutos, sendo que é importante ter a carteira de motorista), ir de trenzinho que circula o dia todo e tem 3 paradas estratégicas (8 euros) ou ir a pé (não paga nada, mas demora-se muito mais).

https://theplanetd.com/palace-of-versailles-to-go-or-not-to-go-on-a-monday/

CINEMA

O palácio foi utilizado em diversos filmes, um dos mais famosos foi Maria Antonieta que incluíram cenas do baile de casamento na Sala dos Espelhos, entre outras.

No dia que eu visitei o Palácio de Versalhes, estavam sendo gravadas cenas de algum filme na região dos jardins. Parei um pouco para assistir, sensacional ter participado disso, mas devido a isso, não pude visitar algumas partes do palácio como a propriedade Trianon. Sem dúvida terei de voltar para conhecer.

DICAS

O Chatêau de Versailles abre somente as 9h00, mas é importante chegar bem cedinho, pois as filas são quilométricas.

Sábados e domingos são dias muito movimentados, portanto se der para você planejar o passeio para os dias da semana é bem melhor. Quartas e quintas feiras são os dias que mais recomendo, pois não são tão cheios.

Eu particularmente gostei bastante de visitar o Palácio de Versalhes,  ele não impressiona só pelo tamanho, mas também pelos ambientes que são extremamente luxuosos. Quero voltar para complementar a visita, pois um dia achei muito pouco para conhecer tudo que ele tem para oferecer.

FONTE
https://en.wikipedia.org/wiki/Palace_of_Versailles

 

 

 

 

Anúncios

12 comentários sobre “Viagem de um dia ao Palácio de Versalhes, partindo de Paris.

  1. Analuiza Carvalho 26 26-03:00 maio 26-03:00 2020 / 16:40

    Ainda não visitei a França, mas imagino que conhecer o Palácio de Versalhes deva ser uma visita marcante! Não só por seu papel histórico na jornada do mundo, como também por sua suntuosidade.

    As imagens nesse post mostram bem isso!

    Espero mesmo, poder fazer uma viagem de um dia ao Palácio de Versalhes e pelo país em algum momento de minha vida. 🙂

    • Vanessa Orfao 27 27-03:00 maio 27-03:00 2020 / 11:39

      Ah, sem dúvida, pode colocar a França em seu roteiro, tem vários lugares simplesmente maravilhosos e Versalhes realmente é um deles. Não vai se arrepender 🙂

  2. Andressa 26 26-03:00 maio 26-03:00 2020 / 16:53

    Nossa, que lugar surreal esse neh? Muito interessante! As suas dicas são essenciais! Parabéns pelo artigo”

    • Vanessa Orfao 27 27-03:00 maio 27-03:00 2020 / 11:57

      Verdade, um dos lugares mais lindos e luxuosos que já estive. Vale a pena. Obrigada

  3. Alessandra De Lima 27 27-03:00 maio 27-03:00 2020 / 11:18

    Muito bom este texto sobre o Palácio de Versalhes, quando estive em Paris, não consegui visitar. As fotos estão lindas. Obrigada por compartilhar.

    • Vanessa Orfao 27 27-03:00 maio 27-03:00 2020 / 11:37

      Jura? Ah, então vai ter que voltar para lá para conhecer kkk e tenho certeza que não irá se arrepender.

  4. Mariana Menezes 28 28-03:00 maio 28-03:00 2020 / 13:35

    O Palácio de Versalhes é belíssimo e um dos lugares imperdíveis na França! Sabe que eu adorei visitá-lo em uma soireé com show de projeções nos enormes jardins. Foi super agradável!
    É um lugar recheado de histórias, e isso também faz a visita mais interessante, não é?

    • Vanessa Orfao 28 28-03:00 maio 28-03:00 2020 / 14:51

      Jura que você visitou em uma soireé? Escreveu sobre isso? Conte-me tudo kkkkk
      Sim, sem dúvida, tudo faz parte da história com belíssimos lugares me atrai.

  5. Klécia Cassemiro 28 28-03:00 maio 28-03:00 2020 / 20:11

    Que lugar! Só de ver esse portão dourado eu já fiquei impressionada! Tudo no Palácio de Versailles inspira riqueza, beleza, é um verdadeiro passeio pela história da França! Suas fotos ficaram lindas! Um texto muito útil para ajudar a visitar a atração.

    • Vanessa Orfao 29 29-03:00 maio 29-03:00 2020 / 12:35

      Obrigada Klécia. Sim, sem dúvida, esse palácio inspira riqueza, beleza, luxo. Para quem gosta de história, Versalhes é um prato cheio.

  6. aplandeiro 29 29-03:00 maio 29-03:00 2020 / 15:05

    Quando for para a França com certeza visitarei o o Palácio de Versalhes e acho uma ótima ideia esse bate e volta saindo de Paris.

    • Vanessa Orfao 30 30-03:00 maio 30-03:00 2020 / 11:51

      Sim! Tenho certeza que vai vai se arrepender. É um lindo passeio 😀

Deixe uma resposta