Um passeio ao Frederiksborg Slot, o magnífico castelo renascentista da Europa.

O Castelo de Frederiksborg está situado em Hillerød, ao norte de Copenhagem. Este impressionante castelo renascentista foi construído durante o reinado de Christian IV (1588 – 1648) e restaurado após um incêndio em 1859.

Ele abriga o Museu de História Nacional da Dinamarca desde 1878.  O museu foi fundado e abriga uma coleção cronológica que ilustra toda a história da Dinamarca desde ao ano de 1500 até os dias atuais.

COMO CHEGAR

Eu peguei a linha S-Torg (S-Train) que partiu de Copenhagen com destino a estação Hillerød. O trajeto demorou em torno de 40 minutos. O valor da passagem já estava inclusa no Copenhagem Card.

Sai da estação e caminhei de aproximadamente 15 minutos até o Castelo onde pude conhecer um pouco da cidade de Hillerød.

O MELHOR PONTO FOTOGRÁFICO DO CASTELO DE FREDERIKSBORG

O castelo situa-se sobre três ilhotas do lago Slotssøen e pode ser avistado da principal praça da cidade de Hillerød. Na praça, de costas para o lago, está localizada a estátua de Frederico VII, rei da Dinamarca de 1848 a 1863. Sem sombra de dúvida dá para fazer lindas fotos de lá.

Endereço: Frederiksborg Slot, D 3400 Hillerod.

A entrada do castelo fica logo após uma ponte de paralelepípedos e uma primeira guarita. Uma vez dentro do pátio, pude notar que todos os edifícios que compõem o complexo, são feitos de tijolos vermelhos.

Há também, um lindo leão em uma outra ponte que leva ao castelo.

Quando cheguei, à visão do castelo foi realmente de um conto de fadas.

Na frente dele fica a Fonte de Netuno, que foi projetada por Adrien de Vries e é considerada uma obra prima do castelo. A fonte atual é uma cópia, feita em 1888, da original que foi levada por tropas suecas para reparações de guerra como parte do tratado de Roskilde de 1658.

O castelo funciona todos os dias ao longo do ano de abril a outubro das 10h00 as 17hh e de novembro a março das 11h00 as 15h00.

A entrada custa DKK 75 adulto, mas quem tem o Copenhagen Card não paga nada.

Há guias ilustrados, bem como áudio-guia em nove línguas.

As visitas guiadas também estão disponíveis para quem se interessa em saber mais sobre a história e os interiores do edifício. Porém estão disponíveis somente em inglês. São gratuitas durante determinados períodos e executadas com maior frequência durante a temporada de verão.

Uma das principais regras do local é não levar malas e sacolas para o Castelo. Portanto é necessário deixa-las nos armários da recepção, exigindo uma moeda de 20 DDK.

O INTERIOR DO CASTELO

Se fora já tinha me impressionado muito, o interior não me desapontou.

TÉRREO

No andar térreo está à bilheteria e os armários da recepção.

Após a entrada, a primeira sala é a Sala Rosa também conhecida como a sala dos cavaleiros que servia de sala de jantar para damas e cavalheiros da corte na época de Christian IV.

Após a Sala Rosa está a Sala da Torre onde existe uma introdução sobre a história do castelo e do museu.  Partindo de lá, há um acesso à passagem secreta inferior que abrigam exposições temporárias.

PRIMEIRO ANDAR

No primeiro andar está a Capela do tempo de Christian IV. As paredes da capela são cobertas por centenas de cristais e diversos brasões pertencentes a famílias reais e nobres de todo mundo.

Na parte superior, há uma vista maravilhosa do espaço da capela. No extremo sul fica o antigo órgão Compenius, com seus mais de 400 anos. É todo decorado com ébano, marfim e prata.

Atravessando um lindo corredor estucado com trepadeiras e rosetas chega-se a Câmara de Audiência, que foi decorada por Christian IV, combinado o estilo renascentista com o barroco

No 2º andar, também estão várias salas, onde pude ver a decoração e pinturas da época.

SEGUNDO ANDAR

No segundo andar está o Grande Salão, que foi remodelado para recriar a decoração que tinha no tempo de Christian IV. No dia que visitei havia uma exposição com os vestidos da rainha Margrethe II da Dinamarca, incluindo vestidos de baile e seu vestido de noiva.

Além disso, há outras salas onde podem ser vistas muitas pinturas, mobiliários, belas tapeçarias e objetos de diversos períodos.

TERCEIRO ANDAR

No terceiro andar estão às exposições de retratos e de algumas pinturas históricas organizadas por temas cronologicamente, que refletem o que é a Dinamarca nos séculos XX e XXI, em alternância com exposições contemporâneas de fotografia, cinema e videoteca.

OS JARDINS

O castelo é cercado por jardins barrocos, originalmente projetados no século XVIII, mas recriados em 1996. Além do jardim barroco há o jardim inglês e o Castelo Bath House, também conhecido como Badstueslot.

https://theculturetrip.com/europe/denmark/articles/why-frederiksborg-castle-is-denmarks-versaille/

O passeio termina no térreo onde está a loja do museu. Pude ver livros, postais e diversas lembranças para levar para casa.

Como eu sou fã de visitar castelos, fiquei realmente encantada com este, que é sem dúvida, um passeio imperdível para quem visita a Dinamarca. Recomendo a visita!

FONTE:
https://en.wikipedia.org/wiki/Frederiksborg_Castle

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.