Excursão de um dia – Into de Glacier, na Islândia!

Into the Glacier é uma excursão com a oportunidade de explorar por dentro e por fora da calota da Geleira de Langjökull.  Uma experiência única.

A Geleira de Langjökull (que em português significa, longa geleira) está localizada no oeste da Islândia ou nas terras altas. Tem 953 km, sendo a 2º maior glaciar do país, depois da de Vatnajökull e a mais próxima da capital Reykjavik. É bastante alta, seu pico mais alto Péturshorn atinge uma altitude de 1.355 metros, que coloca o glaciar entre uma das montanhas mais altas encontradas no país.

Sob a geleira, podem ser encontrados dois ou mais sistemas vulcânicos, indo em direções diferentes. As caldeiras são visíveis, mas a região é bem calma, com apenas 32 erupções nos últimos 10.000 anos.

A geleira alimenta numerosas cachoeiras em toda Islândia, dentre elas a Hraunfossar, Gulfoss e Barnafoss. Sua água derretida alimenta as fontes termais de Geysir, a fonte termal do vale de Borgarfjörður, incluindo a fonte termal mais poderosa da Europa, a Deildartunguhver. O rio Hvítá, também recebe água de lá, bem como, a fissura de Silfra, mesmo estando mais de 50 km de distância.

O gelo tem mais que meio quilometro de espessura e foi formado por séculos, esse rio de gelo lentamente desliza para baixo sob influencia da gravidade. O aquecimento global representa uma ameaça real, embora muitos cientistas dizem que há cerca de 150 anos para que o gelo derreta completamente, os piores cenários dão uma expectativa de vida de apenas 50 anos.

Alguns filmes foram gravados na região. Oblivion (2013) e The Iron Giant (1999), além de vídeo clips de música como: Hot Property, do rapper Mist (2017) e She Wolf de David Guetta ft. Sai (2012).

Existem algumas maneiras diferentes de chegar ao glaciar. A maioria dirige a rota passando pela cachoeira Gullfoss que é a rota mais popular para quem faz o passeio de snowmobile na geleira. Não é indicado ir sozinho até lá, pois as condições do tempo mudam rapidamente e uma possibilidade real de perigo está sempre presente.

O outro caminho é por Húsadalur, por onde realizei o meu passeio. Se a pessoa optar por esse caminho, deve dirigir para o norte de Reykjavik na direção de Borgarfjörður. A geleira é intransitável por carro normal e a estrada pode ter muita neve, então super jeep ou veículos maiores são apropriados chegar com segurança à geleira. Dirigir na geleira sem qualquer experiência não é recomendado pelas fendas e beirais que estão em todos os lugares, portanto sempre é bom levar um guia perito que faça a leitura do terreno para você.

Nós partimos logo cedo da cidade de Reykjavid, e como amanhecia somente por volta das 9h00, fui no escuro em direção a BSI Terminal. Cheguei com 15 minutos de antecedência e levei uma copia impressa do voucher, mas nem precisou. A partida estava agendada para 07h45.

Esse passeio foi realizado pelo Reykjavik Sightseeing que é parceiro do Bus Travel. O ônibus é bem novo, super confortável e equipado com tablets em todos os assentos. O tablet tinha o guia de áudio em 10 idiomas, mas não tinha em português. Mas ao mesmo tempo o motorista foi falando e explicando tudo. Os ônibus, tinham carregador de USB e Wi-Fi gratuito.

A viagem dura em torno de 1 hora e 45 minutos até chegar a Husáfell, onde podemos tomar algo e ir ao banheiro antes de continuarmos. Husáfell é um pequeno acampamento base do Into the Glacier, que é a empresa que construiu a caverna de gelo em Langjökull.

Separaram-nos em dois grandes grupos e nos encaminharam para um veículo off-road ex-militar, próprio da empresa. Esses veículos anteriormente foram lançadores de mísseis da OTAN que foram reaproveitados como veículos de transporte. A empresa também fornece roupas emprestadas, à prova d’água.

Durante o passeio fomos acompanhados por uma guia que foi contando várias histórias sobre a geleira, de como o aquecimento global começou a impactar no ambiente, bem como também histórias sobre fantasmas da região. Antes de chegarmos ao destino, tivemos uma pequena parada em um dos acampamentos da empresa. A viagem tem paisagens encantadoras e dura em média 35 a 45 minutos até o topo da geleira.

Assim que chegamos à entrada, descemos em direção ao túnel (caverna glacial feita pelo homem que só se tornou possível graças aos esforços de engenheiros e geofísicos do país). Localiza-se no alto de uma área remota da geleira.

Lá dentro pude ver o impressionante gelo em tons de azul. A temperatura dentro dela fica em torno de 0ºC.

Caminhamos pelos labirintos por cerca de 1 hora ao redor da caverna. Os túneis em forma de ferradura têm cerca de 500 metros de comprimento. A entrada é a mais estreita e há espaço para se sentar e colocar os grampos nos pés que são obrigatórios e fornecidos pela guia.

O passeio foi fácil, porém em chão totalmente uniforme. A guia foi percorrendo a caverna e dando as devidas explicações, contando histórias da geleira e explicando os diferentes tipos de gelo.

Há cinco câmaras artificiais e os túneis são iluminados com luzes LED, assim o gelo mostra muitas cores azuis diferentes. Ideal para sessões de fotos! Além das câmaras, há também uma capela.

A “cereja do bolo”, sem dúvida, é uma gigantesca fissura natural decorada com pingentes de gelo. A fenda apareceu enquanto os túneis estavam em construção. Realmente uma obra de arte.

Após o passeio retornamos à Husáfell onde paramos para almoçar, no bistro Húsavel.

Continuamos a excursão e logo paramos em Krauma SPA, localizado a 25 minutos do Hotel Husafess. É um banho geotérmico localizado perto da maior fonte termal mais alta da Europa, Deildatunguhver. A fonte termal bombeia 180 litros de água a 100ºC por segundo, que é parcialmente utilizada para fornecer aquecimento geotérmico as residências das cidades vizinhas de Borgarnes (a 34 Km) e Akranes (64 Km).

O Krauma Spa foi aberto ao público em 2017 e oferece 5 banheiras de hidromassagem, uma banheira fria e dois banhos de vapor, bem como uma sala de relaxamento ao lado de uma lareira. Para alcançar a temperatura de banho perfeita, mistura-se a água quente com água fria de Rauðsgil. As instalações incluem um vestiário para 140 pessoas e uma loja de presente. Há também  um restaurante e um bar que oferecem vista da fonte e do vale nas proximidades.  O horário de verão é das 10h às 23h e o horário de inverno é das 10h às 21h.

Comenta-se que esta área geotérmica é o lar de um tipo especial de samambaia conhecida como a “samambaia dos cervos”, que não cresce em nenhum outro lugar na Islândia.

Fizemos outro passei, pelas Cachoeiras Hraunfossar, que significa “cachoeiras de lavas”, região oeste da Islândia. É listada como uma das mais belas cachoeiras da Islândia e realmente é merecido. As cachoeiras foram protegidas como Monumento Nacional desde o ano de 1987.

Essa série de cachoeiras é formada por diversas quedas d’água que correm em cascata por um penhasco de 900 metros de largura.

A água é originária do degelo da geleira Langjökull.  Ela percorre uma distância muito longa até Hallmundarhraun, filtrando-se através do campo de lava e jorrando novamente um uma incrível disposição de água. De lá, a água corre para o Hvitá (rio branco). Ás vezes é deslumbrante e turquesa, mas ocasionalmente vai estar branco leitoso.

Ao lado do estacionamento há um mirante que oferece uma vista fantástica das cachoeiras e do Rio Hvitá. Uma cafeteria fica aberta, somente nos meses de verão.

Visitar as cachoeiras no inverno é lindo. Pode-se ver uma cascata de calhas de água branca de neve.

Acima de Hraunfossar há uma cachoeira famosa chamada Cachoeira Barnafoss, que significa “cachoeira das crianças” por conta de um acidente que ocorreu há muito tempo atrás. Segundo a lenda uma mulher e seus dois filhos moravam em uma fazenda próxima. A mulher foi ao culto de natal, deixando as crianças em casa. Quando ela voltou as crianças tinham desaparecido. As pessoas procuraram e encontraram passos sobre a ponte, acredita-se que eles caíram. Devastada pela perda, essa mãe então destruiu a ponte, prometendo que nenhuma outra criança cruzasse as cataratas novamente. Outros contos dizem que ela amaldiçoou a ponte usando uma runa islandesa para que qualquer pessoa que cruzasse a ponte tivesse o mesmo destino que seus filhos.

Para chegar até lá, segui para direita e caminhei pelos caminhos marcados, chegamos a uma ponte que atravessa o rio. Depois de atravessar a ponte, vimos o Barnafoss à esquerda.  A ponte para pedestres foi originalmente construída no ano de 1891 e renovada exatamente um século depois.

Após os passeios, retornarmos para Reykjavik. A duração do passeio foi de 11 horas, incluindo o tempo de viagem gasto em cada local e a distancia percorrida foi de 340 Km.

O que está incluso:
– Guia de áudio no ônibus
– Tour no veiculo glaciar

O que levar:
Uma jaqueta impermeável, botas resistentes a caminhada a prova d’água e gelo e luvas quentes.

Pisar no Glaciar Langjökull foi fantástico e as paisagens na região das cachoeiras são majestosas.  Eu simplesmente amei esse passeio e recomendo para quem visita à Islândia.

Fonte:
https://intotheglacier.is/everything-you-want-to-know-about-langjokull-glacier
https://en.wikipedia.org/wiki/Langjökull
https://en.wikipedia.org/wiki/Hraunfossar
https://bustravel.is/tours/classic-tours/into-the-glacier

 

Anúncios

8 comentários sobre “Excursão de um dia – Into de Glacier, na Islândia!

  1. Bruna Luisa 18 de março de 2019 / 20:00

    Que incrível esse Glaciar, deve ser mesmo um passeio muito legal! A Islândia está aqui na minha wish list, tudo que vejo de lá é fantástico.

    Curtir

    • Vanessa Orfao 18 de março de 2019 / 20:07

      Bruna, é sim um país encantador. Super recomendo colocar na sua lista sim rsss. Bj

      Curtir

  2. Lulu Freitas 19 de março de 2019 / 11:42

    Passeio sensacional!!!! Adore os vídeos, porque deixaram ainda mais viva a experiência ao ler o texto. Realmente para ir lá é importante ser acompanhado por um guia, o perigo da região é visível.

    Curtir

    • Vanessa Orfao 20 de março de 2019 / 20:29

      Obrigada, eu não sou craque de editar os vídeos, mas acho que consegui dar uma ideia do passeio. Quanto ao guia, sem dúvida é essencial um na região. Imagina ficar perdido por lá?

      Curtir

  3. Gabriela Torrezani 20 de março de 2019 / 07:50

    Meu deus, que coisa mais maravilhosa! Eu ADORARIA explorar um Glaciar… ainda mais na Islandia! Já to de olho na into the glacier pro futuro hehehe

    Curtir

    • Vanessa Orfao 20 de março de 2019 / 20:30

      Gabi, realmente foi maravilhoso explorar o Glaciar. Super recomendo você já olhar mesmo 🙂 Se precisar de dica, conta comigo. Bj

      Curtir

  4. Patricia 20 de março de 2019 / 17:20

    Que lindoo!!
    Islândia é um sonho e quero muito ir.
    Só preciso juntar uma graninha boa, pq né… não é dos lugares mais baratos. Mas eu ainda vou!

    Curtir

    • Vanessa Orfao 20 de março de 2019 / 20:26

      Paty, era um sonho para mim também. Sem dúvida, não é um lugar barato, mas dá para planejar sim e se precisar de dicas, pode contar comigo 🙂 Um beijo

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.