Aurora Boreal na Islândia – Sonho realizado

Atualmente os dois termos: Aurora Boreal e Northern Lights são usados para se referir as mais lindas luzes coloridas que pintam o céu. “Aurora Borealis” é o nome cientifico e em latim quer dizer “amanhecer do norte”. Já o termo “Northern Lights” foi criado e usado pelos noruegueses do século XVIII. 

HISTÓRIA E EXPLICAÇÃO

Ao logo do tempo, as luzes foram ligadas não apenas à pesquisas e à ciência, mas também à cultura, misticismo, superstição e crenças religiosas. Elas já foram consideradas desdes espíritos dançantes, como também a luz do reino dos deuses e como uma raça de seres malignos.

Ninguém no século 19 foi capaz de explicar a emissão de luz da aurora. O cientista Kristian Birkelund, após muitas expedições pela Noruega, foi quem chegou mais perto da explicação sobre as luzes do norte no início do século XX. Segundo ele, elas estavam associadas a um grande sistema de correntes elétricas. Mas, a compreensão de como a Aurora Boreal é criada só foi explicada no final da década de 1950.

Auroras Boreais são o resultado de colisões entre as partículas gasosas na atmosfera da Terra com partículas carregadas liberadas da atmosfera do sol. No centro do sol, a temperatura é de 15 milhões de graus Celsius. À medida que a temperatura em sua superfície aumenta e diminui, o sol ferve e borbulha. Os elétrons e prótons livres são lançados da atmosfera pela rotação do sol e escampam através de buracos no campo magnético. Soprado para a terra pelo vento solar, as partículas carregadas são desviadas pelo campo magnético da terra. Porém, o campo magnético da Terra é mais fraco em ambos os pólos, então algumas partículas entram na atmosfera da Terra e colidem com as partículas de gás (oxigênio e nitrogênio). Essas colisões emitem luz que são as Auroras Boreais ou Northern Lights. As luzes aparecem cerca de 80 km até 640 km acima da superfície da terra.  

ONDE E QUANDO VER?

As auroras boreais podem ser vistas no hemisfério norte ou sul, acima da marca da latitude de 60º ao norte e abaixo da latitude de 60º no sul. Os melhores lugares para assistir as luzes do norte são: norte do Canadá e do Alaska, ponta sul da Groenlândia, na Islândia, norte da Noruega, da Sibéria, da Finlândia e Suécia. Já as auroras sul estão concentradas em torno da Antártida desabitada e no sul do Oceano Índico.

A temporada da aurora boreal é de final de setembro a final de março. Porém, como são os meses mais escuros, são também os mais imprevisíveis, por conta de nuvens de chuvas e neves que são frequentes. Normalmente, o melhor horário (em noites claras) para observar as exibições aurorais é entre as dez a meia-noite local (ajuste para as diferenças causadas pelo horário de verão).

Eu escolhi fazer minha viagem de final de setembro à meados de novembro, mas apesar de ter tentado ver as luzes na Finlândia, na minha visita em Rovaniemi ou na Noruega, nas Ilhas Lofoten, Narvik, Tromso e Senja, somente consegui ver na Islândia no dia 03 de novembro de 2018, quase no final da viagem.

A Islândia fica entre os 63º e 66º de latitude norte, ou seja, extremamente bem posicionada e oferece a chance de ver as luzes de 7 a 8 meses por ano. Devido à natureza imprevisível das Auroras, não há lugar específico na Islândia que seja o melhor para ver as luzes. Elas podem ser vistas de qualquer lugar do país, incluindo Reykjavik e outras cidades, porém o ideal são os lugares mais afastados, nas áreas que não estão sujeitas a ‘poluição luminosa’. Além disso, o ideal é encontrar uma área plana, onde não há montanhas ou edifícios que dificultem a vista, pois a Aurora aparece bem perto do horizonte (muito baixo).

Além disso, as temperaturas em Reykjavík raramente caem abaixo de -5°C no inverno, ao contrário do norte do Canadá, Noruega ou Groenlândia, onde pode cair de -20 a -30°C, o que tornou ideal a minha viagem para lá em busca da realização do meu sonho que era ver uma Aurora Boreal.

PREVISÃO DE AURORA

Há algumas ferramentas, sites e aplicativos que pode-se verificar a previsão da aurora boreal. Existem grupos do facebook, um deles é o da Northern Lights Alert na Islândia.

Eu acabei baixando uns aplicativos no meu telefone que dava uma previsão de Aurora, mas existem vários.  Segue abaixo alguns deles:

My Aurora Forecast & Alerts
Northern Lights Aurora Alerts
Iceland Aurora Alerts
Aurora Alerts

Um dos sites mais confiáveis é o do Gabinete Meteorológico Islandês que exibe a cobertura de nuvens sobre o país e a força da atividade solar.

As manchas que estão em verde no mapa mostram onde estão as nuvens e as partes brancas mostram os céus limpos. A força da atividade solar pode ser entendida na parte do valor numérico que geralmente estão entre dois e quatro na Islândia. Zero a dois é muito baixo e de cinco a nove significa tempestades magnéticas.

AS CORES

As luzes exibem uma variedade de cores diferentes, mas o verde é o mais popular. Os tipos de cores dependem do tipo de gases envolvidos, bem como a distribuição de energia das partículas do sol. As cores são: verde, amarelo, vermelho, azul, violeta, rosa e branco.

As luzes verde, amarela e vermelha estão associadas com a colisão das partículas do sol com o gás oxigênio, enquanto a azul e a violeta estão associadas as interações com o gás nitrogênio.

Elas também, dependem da altitude e da intensidade do vento. Quanto maior a altitude, maior a energia. Por exemplo, se a colisão de partículas ocorrer em altitude relativamente alta e a intensidade do vento solar for alta, a cor será vermelha. No entanto, se a colisão ocorrer em altitudes mais baixas e a intensidade do vento solar for baixa, a luz será verde.

A luz verde é a mais comum e é causada pelos átomos de oxigênio de alta concentração em altitudes baixas. A luz vermelha é raramente percebida e causada pelas moléculas de oxigênio muito altas na atmosfera. A luz azul ocorre em altitudes ainda mais baixas, mas associadas ao nitrogênio. As luzes violetas ocorrem apenas durante os níveis mais altos de atividade solar, torando-as bastante raras. As luzes amarelas e cor de rosa são na verdade uma mistura de vermelho, verde e azul. As luzes brancas são as muitas cores que se misturam ou se elas estão muito fortes.

FORMATOS

Existem algumas formas básicas como: Arcos, Corona, Difusa e Draperia. Drapéria é a forma vista com mais frequência e descrita como parecendo cortinas trêmulas. Arcos tem formas que nos lembram de arco-íris. A Corona tem a forma de uma coroa e a Difusa raramente é vista e não assume qualquer forma específica.

Os cientistas ainda não sabem exatamente como e por que as diferentes formas são formadas, mas acreditam que tem algo a ver com a fonte dos elétrons e como ela chega à atmosfera. A posição de pé de uma pessoa também pode afetar a forma da Aurora Boreal, o que torna as luzes ainda mais imprevisíveis, já que duas pessoas poderiam estar olhando para a mesma Aurora ao mesmo tempo, mas descrevem visuais muito diferentes.

O PASSEIO

Há uma variedade de passeios para escolher, desde o mais popular e barato ao mais caro. Há passeios de ônibus, de jeep e até de barcos. Há também a possibilidade de alugar um carro e fazer por conta própria.

Eu escolhi a empresa ARTIC ADVENTURES ICELAND. Acredito que os guias têm mais experiencia, além de estarem mais familiarizados com as condições, com os melhores lugares e estacionamentos seguros. O pacote que eu escolhi é disponível de setembro à abril, tem 4 horas de duração, saindo de para Reykjavik. O tour se chama MAGICAL AURORAS. O preço do passeio custou 9.900 ISK (R$ 318,74).

Eles me pegaram as 20h30 em frente ao BSI Terminal. O tour guiado foi de micro-ônibus, com direito a wi-fi gratuito. Eles não garantem com antecedência o local, geralmente seguem para onde há previsão e melhores chances para ver a Aurora. O guia Nick Reeves foi excelente. Ele pôs uma música suave no ônibus e foi nos explicando sobre os aspectos científicos e o quão raras e especiais as Auroras são.

Ele também fez questão de nos informar que estávamos caçando a Aurora Boreal, o que significa que poderíamos não ter encontrado. Não foi o meu caso, mas se ela não aparecer no passeio, ou se não for possível ver ela a olho nu, a empresa permite remarcar uma outra data de partida, sem custo adicional, de acordo com a disponibilidade, mas não há reembolso do valor pago. Se a excursão for cancelada, devido ao clima, pode reservar para outra noite ou obter o reembolso.

As luzes no primeiro momento me pareceram diferentes a olho nu, então, Nick me ensinou como observá-las. Ficamos por quase três horas no local mais ou menos. Depois de um tempo as luzes apareceram de uma maneira fantástica e eu não consigo descrever o que senti ao vê-las. Foi sensacional!!!

Nick tirou diversas fotos da aurora boreal e foi tirando uma foto de cada pessoa do grupo. Colocou online (google drive), após três dias. Apesar de eu achar que a minha foto não ficou muito boa, quanto algumas fotos de outras pessoas do grupo, eu gostei da experiencia e poderei ter a recordação desse momento maravilhoso.

O Nick não fez nenhum vídeo, mas esse no youtube da própria empresa, consegue retratar o que pude presenciar nesse passeio incrível.

O QUE LEVAR?

Eu fui no outono e  apesar de não ter muita neve, estava bem frio. Para que eu fizesse um passeio tranquilo, resolvi ir bem aquecida. Dica:  A empresa aluga vestuário, mas tem que ser solicitado com antecedência. Eu não aluguei porque estava com dois casacos, luvas e touca bem quentinha.

Recomendo levar:
– Touca bem quente;
– Luvas grossas;
– Blusa e calça “segunda pele” (legging térmica);
– Jaquetas ou casacos quentes (um ou até mesmo dois);
– Meias de lã:
– Calça impermeável;
– Botas de neve:
– Garrafa térmica e comida (no caso de ficar muito tempo) e:
– O mais importante: uma boa câmera.

COMO TIRAR FOTO?

Ás vezes, a aurora não pode ser vista a olho nu, mas se você perceber um leve toque de cor no céu, tente já configurar a câmera.

Para tirar uma foto perfeita é essencial que a câmera tenha uma configuração manual e possa funcionar em uma configuração ISO elevada. Eu tentei tirar do meu celular e de uma câmera que tinha e infelizmente não saiu nada, além de uma tela preta 😦

O guia nos deu algumas dicas. A câmera deve estar no modo manual. O diaframa ajustado para maior configuração (1.4, 2.0 e 2.8). A velocidade do obturador deve ser ajustada para 4 a 15 segundos. O ISO deve ser ajustado de 800 – 3200, mas quanto menor, melhor a qualidade. Retirar da câmera o estabilizador de imagem ou filtro, pois afetará a qualidade da foto. Ajustar o foco para infinito, reduzir o zoom ao máximo.

Após ajustar o balanço de branco automático e as outras configurações necessárias, é só colocar colocar a câmera em um tripé e fotografar!!!

Sem dúvida, a viagem para Islândia não seria completa sem eu ter visto a aurora boreal. Para mim foi a realização de mais um sonho! Sem dúvida, não consigo explicar a sensação que foi ver esse lindo fenômeno da natureza. Acho que posso descrever esse sentimento como uma felicidade pura, já que eu estava esperando tanto tempo para vê-lo, e isso, para mim, foi mágico. Eu nunca vou esquecer esse momento.

Fonte:
https://en.wikipedia.org/wiki/Aurora
https://www.bivrost.com/history/
https://adventures.is/information/about-northern-lights/

 

 

Anúncios

6 comentários sobre “Aurora Boreal na Islândia – Sonho realizado

  1. Caminhos me Levem 11 de dezembro de 2018 / 10:43

    Meninaaa como eu queria ter lido essas dicas pra tirar foto antes de ir pra Islândia. Só tenho foto borrada da Aurora Boreal kkk mas tá valendo, ficou muito bem gravado na memória ❤

    Curtir

    • Vanessa Orfao 11 de dezembro de 2018 / 12:17

      Ah… então tem que voltar para lá para tirar novas fotos kkkkk
      Brincadeira! Importante realmente é que temos na nossa memória os momentos, né?

      Curtir

  2. Lulu Freitas 11 de dezembro de 2018 / 11:50

    Maravilhoso post!!!!! Completíssimo!!!! Sonho muito em ter essa experiência e não imaginava que ver a aurora boeral na Islândia fosse uma opção tão viável. Você teve um lindo sucesso na sua caçada. Que demais!!!!

    Curtir

    • Vanessa Orfao 11 de dezembro de 2018 / 12:18

      Obrigada Lulu. A Islândia realmente é um ótimo país para você realizar esse sonho. Bjosss

      Curtir

  3. Bruna Luisa 11 de dezembro de 2018 / 12:55

    Também tenho muita vontade de ver a aurora! Adorei o post, super completo para quando eu for!

    Curtir

    • Vanessa Orfao 11 de dezembro de 2018 / 13:20

      Que legal Bruna. Recomendo sim, se tiver oportunidade de realizar esse sonho. Obrigada pelo elogio. Bjs

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.